Cooperativa de Trabalho de Turismo e Promoção de Eventos Voo Social

Bem-vindos!

Casa de Farinha de Seu Antônio e Dona Tereza

Tudo começou quando Seu Antonio tinha oito anos.
A dinâmica de aprendizado envolveu dois aspectos: a necessidade de ajudar na renda da família e o aprendizado do ofício. Desde então, considerando que a terra é fértil, serviu e serve de complemento alimentar com culturas de tubérculos, hortaliças e plantas medicinais.
O agricultor Antonio Costa trabalhou no plantio e colheita da cana-de-açúcar durante o tempo que pôde. Sua Casa de Farinha é o que resta, mas está em péssimo estado, precisando ser restaurada. Também é casado com Dona Tereza, com quem tem treze filhos.

A Casa de Farinha é mais do que um local de fabricação de alimentos, ela reforça os laços de pertencimento e identidade das comunidades.

Eles veem a importância da produção da mandioca e dessas pequenas fábricas para suas vidas e a produção da Farinha, que é passada de geração em geração, com a exploração de utensílios utilizados nessa prática em diferentes épocas. Os laços de afeto são construídos nas atividades cotidianas de produção da Farinha e na importância desse alimento tradicional para os moradores locais e a sociedade em geral.
Atualmente quatro crianças moram na casa, acordam cedo, limpam e organizam a casa. Cada um já tem suas atribuições. A mãe é responsável por cozinhar para toda a família, lavar a roupa e supervisionar as tarefas domésticas (lavar louça, lavar roupa, limpar o chiqueiro, varrer o quintal).
Seu Antonio se concentra na colheita da mandioca para preparar a Farinha (descascar, ralar, torrar).

"O dia-a-dia e a vida não é só trabalhar aqui. Você trabalha para viver, não vive para trabalhar."
Seu Antônio

Por isso, com muita cortesia Dona Tereza e Seu Antonio abrem suas portas aos visitantes com alegria, reciprocidade, entusiasmo, empatia, simplicidade, humildade, com carinho, cordialidade, atenção, receptividade e boas histórias.

Tenha uma experiência turística humanizada em que as pessoas estejam em primeiro lugar, utilizando uma experiência prática (plantar, colher, descascar, moer) e holística.

Os valores dessa experiência se misturam à história e às tradições milenares, características evidenciadas na fala e nas expressões dos protagonistas da Casa de Farinha Seu Antonio e Dona Tereza.

Entre todas as trocas, destacam-se a riqueza das histórias contadas por esses mestres sorridentes, Dona Tereza e Seu Antonio, e as raízes insepultas desse lugar incrível. Lá vivem gerações de avós, pais, filhos, netos, homens e mulheres que fazem tradição e sustento.

Um movimento único que vai da fazenda ao prato: entre os ritmos e cores das farinhas, sabores que nos encantam explodem e saciam a fome do Brasil.

Oi, tem Farinha? Sim, de fato!

Do Engenho Barros à cidade grande, da floresta ao asfalto. Do índio, ao quilombola. Branco, amarelo, grosso, fino, doce, amargo. Entre, a Casa de Farinha de Seu Antonio e Dona Tereza é sua!

Em cada cômodo desta casa: veja, ouça, sinta… EXPERIMENTE!

Sente o cheiro da farinha quentinha saindo do forno?
Aos nossos hóspedes, nossos visitantes, um Bom Apetite!

Veja algumas fotos:

Programação

  1. Colheita da Mandioca;
  2. Descascar a mandioca colhida;
  3. Primeira moída da Mandioca;
  4. Retirar a goma (base da tapioca);
  5. Prensa;
  6. Pausa para um lanche;
  7. Segunda moída da mandioca;
  8. Peneirar;
  9. Torrar;
  10. Fazer o beju;
  11. Almoço;
  12. Momento de descanso e degustar o beju.

*Nossos passeios podem tem capacidade máxima de 16 pessoas por turno.

** Fazemos a excursão em Português, Inglês e Espanhol, basta solicitar no momento da reserva.

Traduzir >>